23/02/2021 07:49:00

Mostra “Na Quebrada Festival de Cinema” retrata universo LGBTQI+ da periferia de SP

O festival acontece de 1 a 7 de março e será transmitido gratuitamente na plataforma Spcine Play

Mostra “Na Quebrada Festival de Cinema” retrata universo LGBTQI+ da periferia de SP - Notícias - Mato Grosso digital

“Eles combinaram de nos matar, mas nós combinamos de não morrer” –  a frase da escritora Conceição Evaristo está em um dos 14 curtas-metragens do 1º Na Quebrada Festival de Cinema.

 

O Festival que retrata universos de jovens, mulheres e LGBTQI+ que moram na periferia ou ocupações centrais da cidade de São Paulo acontece de 1 a 7 de março e será transmitido gratuitamente na plataforma Spcine Play (www.spcineplay.com.br). O Festival também contará nos dias 2,3 e 4 de março, às 19h, com mesas com a participação dos realizadores sobre o processo criativo dos filmes.

 

Em diversos gêneros (documentário, suspense, drama, ficção, animação) os 14 curtas foram selecionados entre os 177 inscritos nas três mostras competitivas nas categorias: Manas, Monas e Manos, feitas respectivamente por cineastas mulheres, LGBTQI+ e jovens, todos retratando as diferentes realidades da vida na periferia da cidade de São Paulo.

 

“A importância do Festival é o reconhecimento desse território, do trabalho que é realizado nele e que está na moldura da cidade de São Paulo: a periferia mostrando suas obras e seu protagonismo, pulsando para fora e chegando em todo Brasil”, diz a curadora do 1º Na Quebrada Festival de Cinema, Monica Trigo.
 

 

 

 

 

 

 

Representatividade

A produção cinematográfica do Festival traz histórias diversas, onde os moradores podem, muitas vezes, se verem representados em sua diversidade, talentos, paixões, alegrias e injustiças.

 

Entre os temas abordados, desde o trabalho infantil, discriminação, a batalhas de rimas de mc’s, a rotina de trabalhadores que não tiveram a opção de ficar em casa durante a pandemia, o tráfico, às adversidades de ser LGBT no extremo sul da cidade, e as relações de poder.

 

De acordo com a diretora do Festival, Stefanie Lacerda, a proposta do 1º Na Quebrada Festival de Cinema é dar protagonismo aos cineastas das periferias e incluir segmentos historicamente excluídos: pobres, pretos, mulheres e LGBTQI+.

 

Premiação

O resultado da premiação será postado no site do Festival, no dia 7 de março.

Os melhores filmes em cada categoria (Mostra Manos, Mostra Minas e Mostra Monas) serão escolhidos por um júri técnico composto por três profissionais do audiovisual. Entre eles o ator Francisco Gaspar que, entre outros prêmios, recebeu o Kikito no Festival de Gramado; a jornalista Ana Paula Nogueira, com passagens pelos jornais O Estado de SP, Gazeta Mercantil e a agência de notícias internacional Reuters. Além de Paula Ferreira, produtora, apresentadora e atriz. Uma das personalidades de grande influência na militância LGBTQI+. O filme vencedor de cada mostra ganhará o “Troféu Perifa” e um prêmio em dinheiro de R$ 1.000,00.

 

O 1º Na Quebrada Festival de Cinema tem patrocínio da Spcine, da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo, Prefeitura Municipal de São Paulo, Proac, Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e Governo do Estado de São Paulo.

 

Serviço:

1º Na Quebrada Festival de Cinema

Período: De 1 a 7 de março

Plataforma Spcine Play: https://www.spcineplay.com.br/

Site do Festival: www.naquebradafestivaldecinema.com.br Instagram: @naquebradafestivaldecinema

 

Encontros com os realizadores: 

02/03 – Mostra MANAS 

“Day-To-Day” com a diretora Megg Miranda

“Quarentena pra quem?” com a diretora Isabela Vilela

“Barco de papel” com a diretora de produção Simone Ferreira

“O Conforto das ruínas” com a diretora Gabriela Lourenzato
 

03/03 – Mostra MONAS

“Atenue” com o diretor Deni Chagas

“Onde o céu acerta o relógio” com o diretor Marco Aurélio Gal “Perifericu” com a diretora Stheffany Fernanda

“Tenebrosas” com o diretor Jhonatan Bào

“Transacralidade” com a diretora Luz X
 


04/03 – Mostra MANOS 

“Faces à sombra” com o diretor Weslei Mata

“Goma” com o diretor Igor Vasco

“Paloma” com o diretor Alex Reis

“Quanto tempo o tempo tem, se não estamos juntos” com o diretor Jader Monteiro

“Quaresma” com o diretor Adriano Gomes | GAY BLOG BR @gayblogbr

 

 

 

 

 

 

Comentários (0)

Escrever comentário

...enviando

Atenção! Preencha todos os campos marcados com *

Obrigado! Seu comentário foi enviada com sucesso.

Leia também

Sexta-Feira, 26 de Fevereiro de 2021

Ver todos os notícias


Cuiabá

. Umidade do ar:

01 Mar 2021

27ºC / 19ºC

02 Mar 2021

27ºC / 19ºC